O Programa SC Mais Energia, que em 2018 completou três anos de atuação em Santa Catarina, reuniu representantes das principais entidades do Estado para um balanço das atuações e resultados.

Presidida pelo coordenador, Gerson Berti, a reunião debateu ainda os principais desafios a serem enfrentados a partir de 2019.

“Uma das metas é implantar o uso de tecnologias e energias limpas em prédios e instituições públicas, para sermos cada vez mais referência em sustentabilidade”, destacou Berti.

P 20181203 152104

Lançado em 2015 pela Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável, o SC+Energia tem como objetivo incentivar os empreendimentos ao uso de fontes de energias limpas e renováveis. Para dar viabilidade ao programa, foram reunidos diversos órgãos em uma força-tarefa, com objetivo de incentivar o potencial catarinense de energia, mantendo o Estado na vanguarda do crescimento.

Em mais de três anos, foram emitidas mais de 230 licenças ambientais, entre Licenças de Operação (LAO), Licenças Prévias (LAP) e Licenças de Instalação (LAI). Além disso, foram mais de 400 Avaliações Preliminares de Disponibilidade Hídrica (ADPH) e Outorgas.

Atualmente, o Programa conta com mais de 136 empreendimentos cadastrados, e presta atendimento em todas as mesorregiões de Santa Catarina. No Leilão de Reservas da Aneel, realizado em 2016, nove projetos catarinenses foram vencedores, sendo que destes, oito fazem parte do SC+Energia.

Entre os apoiadores que participaram da reunião estavam os representantes: Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (Fiesc), Regulação de Serviços Públicos de Santa Catarina (Aresc), Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina (Epagri), Centrais Elétricas de Santa Catarina (Celesc), Diretoria de Recursos Hídricos/ SDS, (DRHI), Fundação de Amparo à Pesquisa de Santa Catarina (Fapesc), Banco Regional do Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), Associação dos Produtores de Energia de Santa Catarina (APESC), Instituto do Meio Ambiente (IMA), entre outros.