Colonizada por alemães e italianos, localizada no Oeste catarinense, a cidade de Videira, que completou 75 anos de história neste mês de março, juntou forças e, com o apoio da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável (SDS), está construindo seu próprio Centro de Inovação, baseado no modelo e diretrizes do Governo de Santa Catarina e apoiado por sua equipe técnica.

Embora com pouco mais de 50 mil habitantes, é a 23ª maior economia do Estado e dispõe de um dos melhores índices de desenvolvimento humano, além de ser berço da vitivinicultura e de empresas como a Perdigão (hoje, BRF S.A), uma das maiores companhias de alimento do mundo, orgulho para os catarinenses. Em comum, durante toda esta trajetória, está o DNA do empreendedorismo e da inovação.

Centro de Inovação Videira

Empresários, representantes do poder público local, instituições de ensino, setor privado, comércio e indústria contaram com a orientação e expertise da SDS, para adaptar o prédio novo que abriga o Terminal Rodoviário local para reunir startups e empresas de tecnologia da região, implantando o próprio Centro de Inovação, que ganhou corpo e saiu do papel sem custos para o Estado.

A ideia surgiu há um ano, a partir do interesse do município em fazer parte do projeto macro que engloba a integração e convergência dos Centros de Inovação no Estado. Percebendo a indisponibilidade financeira do Governo em arcar com mais estruturas não previstas no orçamento, o prefeito levou adiante a orientação da Diretoria de Ciência, Tecnologia e Inovação da SDS e disponibilizou um imóvel próprio para implantar o Centro.

Em contrapartida, está recebendo do Governo toda a metodologia, apoio técnico e a possibilidade de ser incluído nas futuras políticas de inovação do Governo do Estado. O passo seguinte foi formar um Comitê de Implantação do Centro a partir do conceito da tríplice hélice que preconiza a união de empresas, instituições de ensino e setor público para fomentar um ambiente de inovação e desenvolvimento econômico, social e tecnológico. Para tirar o sonho do papel seguiam em contato com a SDS.

“O Centro de Inovação em Videira será uma das nossas referências, em especial, de como parcerias público-privadas (PPP) são economicamente viáveis e tendem a ser assimiladas com mais facilidade pelas comunidades, uma vez que brotam da vocação dos próprios municípios e regiões, focando, não apenas na construção, mas, no habitat, no próprio ecossistema de inovação. Ganha a região e ganha SC”, avalia o secretário da SDS, Lucas Esmeraldino.

Parte do Terminal Rodoviário da Cidade foi adaptado para abrigar o novo Centro de Inovação, que teve um custo de aproximadamente R$ 800 mil, entre mobiliário e algumas adequações estruturais, para Prefeitura de Videira. O martelo foi batido após uma audiência pública realizada com a comunidade, associações e representantes da academia.

Centro de Inovação Videira 5

O Centro contará com parecerias da Universidade do Oeste de Santa Catarina (UNOESC), Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Santa Catarina (IFSC) e da Associação Comercial da região, que farão parte da rede de relacionamento (modelo de gestão) do Governo do Estado.

“O momento é este, de parcerias. Usamos um espaço que o Município já tinha, e contemplamos um projeto feito há quatro mãos e que vai trazer desenvolvimento para a toda região. Este é o caminho que deu certo, graças à abertura de diálogo entre as partes”, destaca o prefeito de Videira, Dorival Carlos Borga.

Visita em Florianópolis

Nos últimos dias de fevereiro, com o processo de implantação do Centro de Videira e estágio avançado, integrantes do Comitê de Implantação estiveram em Florianópolis para conhecer experiências de ambientes de inovação. A programação da viagem contou com visitas ao Sebrae Lab, Centro de Inovação Acate Primavera, Incubadora Celta, Observatório da Indústria Fiesc, Centro de Inovação Acate-Dimas e Sapiens Parque.

IMG 6678 2
Comitiva em visita ao Laboratório de Inovação da SDS

“Ao visualizar toda a experiência que as entidades de Florianópolis têm em relação à inovação nas diversas áreas do conhecimento, foi possível perceber o grande potencial que Videira também pode dispor em seu ecossistema e sua cadeia produtiva, bem como o apoio que teremos dessas entidades e do Estado ao dar início a esse desafio. Nós como universidade, estamos felizes em saber que estamos bem colocados devido às tendências de negócios e com grandes oportunidades para projetar e fornecer capital humano para a região envolvendo todo o ecossistema de inovação, ou seja, preparar pessoas com pesquisa básica e de aplicação para a inovação", avalia a representante da UNOESC, Cristiane Bonatto de Morais.

Assessoria de Comunicação
Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável e Turismo
Jornalista: Mônica Foltran
E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
Telefone: (48) 3665 2261