A Inovação é reconhecida como uma das principais formas para ampliar a competitividade internacional da economia de uma região, Estado ou país. Para fortalecer o ecossistema catarinense, o Governo do Estado, por meio da Secretaria do Desenvolvimento Econômico Sustentável (SDS), lançou nesta segunda-feira, 30, o Pacto pela Inovação. “Principalmente em momentos de crise, os investimentos em Inovação são os mais necessários para manter a economia forte, equilibrada e, sobretudo, competitiva diante o cenário internacional”, disse o secretário de estado da Comunicação, João Evaristo Debiasi, que representou o governador Raimundo Colombo na abertura do evento.

A ideia é aumentar os níveis de conexão e convergência das ações do ecossistema catarinense a fim de multiplicar resultados e mostrar ao investidor, empreendedor e aos talentos externos que, além dos investimentos governamentais em inovação, os setores estão alinhados com o propósito. Segundo o secretário da SDS, Carlos Chiodini, a primeira fase das ações do Pacto vai priorizar as cidades que estão recebendo os Centros de Inovação, já que a ativação do ecossistema é condição indispensável para o sucesso dos Centros. Nas etapas seguintes, todas as demais regiões devem ser integradas.

No total, 29 entidades assinaram o Pacto pela Inovação. “O acordo envolve o Governo, universidades, instituições de apoio, empresas e outros atores que promovem Ciência, Tecnologia, Inovação e Empreendedorismo. O compromisso é multiplicar, coordenar e orientar ações na mesma direção, rumo à economia do conhecimento”, disse o diretor de Ciência, Tecnologia e Inovação da SDS, Jean Vogel.

O presidente da Associação Catarinense das Fundações Educacionais (Acafe), Salésio Herdt, destacou que a mudança deve ser não apenas acadêmica, mas pedagógica, na pesquisa e em atitudes inovadoras. “O sistema universitário catarinense é um exemplo de superação empreendedora, onde as comunidades regionais desempenham papel preponderante no desenvolvimento. No atual modelo econômico, onde o conhecimento é um importante fator de produção e desenvolvimento, as universidades possuem ainda mais relevância”, disse em nome das instituições de ensino.

Representando o setor empresarial, o presidente da Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (Fiesc), Glauco José Côrte, falou sobre a força da indústria 4.0, conceito que ganhou força na Alemanha em 2011, cujo fundamento básico implica que, conectando máquinas, sistemas e ativos, as empresas poderão criar redes inteligentes ao longo de toda a cadeia. “Diante deste movimento, que chegou rapidamente no Brasil, tínhamos duas opções: assistir ou sermos protagonistas. As indústrias catarinenses escolheram a segunda alternativa”, falou.

O Pacto pela Inovação foi uma ação firmada durante o 1º Encontro do Ecossistema Catarinense de Inovação, evento que está sendo realizado até terça-feira, 31, no Square Corporate, em Florianópolis. Após a abertura, foram proferidas palestras do presidente da Associação Internacional de Parques Científicos e Ambientes de Inovação (IASP), o espanhol Josep Piqué; e da secretária de Inovação do Governo da Colômbia, Alicia Garavito.

O encontro está sendo transmitido ao vivo pelo link: https://goo.gl/gvZECq .