A política pública para incentivar a instalação de usinas hidrelétricas de pequeno porte em Santa Catarina por meio do Programa Catarinense de Energias Limpas - SC+Energia foi destaque no 1º Workshop Nacional de Centrais Geradoras Hidrelétricas (CGH). O evento, que foi realizado em Curitiba, na semana passada, contou com a presença do coordenador do programa e presidente da Associação de Produtores de Energia de Santa Catarina (APESC), Gerson Berti.

Executado pela Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável (SDS), o SC+Energia foi para fortalecer e impulsionar empreendimentos de geração de energia de fontes naturais e renováveis.

Hoje, o Brasil conta com 602 unidades de CGHs, que representam 517.301 kilowatts (kW) de potência, correspondendo a 0,2% do total da matriz energética nacional. “Dessas, 155 unidades estão em Santa Catarina, gerando 146.836 kW, 3,17% do total”, explica. Para Berti, este é um reflexo dos programas lançados pela ​SDS, que enxerga nesta matriz econômica uma alavanca para geração de renda e emprego para os catarinenses.

Segundo o secretário da SDS, Carlos Chiodini, a semente plantada em junho de 2015, com o lançamento do SC+Energia, vem trazendo frutos para economia catarinense. “Fomos sensíveis a uma solicitação do governador Raimundo Colombo, do vice Eduardo Pinho Moreira e do setor de geração de energia, que queria empreender e era impedido pelos entraves burocráticos. Unimos forças dentro do Governo, principalmente com a nossa Fundação do Meio Ambiente e aproveitamos nossas potencialidades naturais e vocação empreendedora para gerar energia limpa, trazendo esses resultados positivos para economia catarinense”, afirma.

Segundo dados apresentados pela Fundação do Meio Ambiente (Fatma), 388 usinas hidrelétricas de pequeno porte estão licenciadas em Santa Catarina. Somente em 2016 foram emitidas mais de 60 licenças para o setor. “A implantação do programa SC+Energia trouxe um grande avanço. A emissão de licenças para o setor é prioridade dentro da Fatma”, afirma o presidente da Fatma, Alexandre Waltrick Rates.

O grupo de trabalho do SC+Energia é formado pela SDS, Fatma, Secretaria da Fazenda (SEF), Junta Comercial de Santa Catarina (Jucesc), Agência de Fomento de Santa Catarina (Badesc), Companhia de Gás de Santa Catarina (SC Gás), Centrais Elétricas de Santa Catarina (Celesc), Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), Fundação de Amparo a Pesquisa e Inovação (Fapesc), Federação das Indústrias de Santa Catarina (Fiesc), Apesc e Eletrosul.